2009-11-11

Também no Barreiro...El coronel no tiene quién le escriba!

«Disse-se que o passado era a lição do presente.
Quando o presente é que é lição do passado.»

Efectuar uma tentativa de interpretação da evolução do Barreiro, do distrito de Setúbal e de Portugal, é uma tentação que - por vezes - toma de assalto o meu pensamento. Todavia, depressa rejeito cair nessa tentação, ao verificar que as novelas de Gabriel García Márquez interpretam na plenitude a evolução dos epifenómenos a que pretendia dar uma tentativa de interpretação.

Recentes epifenómenos da política barreirense tentaram-me novamente a escrever uma tentativa de interpretação sobre o presente e o futuro do Barreiro. No entanto, desde logo veio-me à memória que Gabriel já tinha grande parte da dita interpretação escrita na sua novela «El coronel no tiene quién le escriba» e que, tal qual a sua outra obra «Crónica de una muerte anunciada», o epifenómeno estava sumamente anunciado desde os tempos da pré-campanha eleitoral autárquica. Ao que é dito e pode ser interpretado nas palavras de Gabriel García Márquez, pouco valor acrescentado traria a minha tentativa de interpretação.

Ainda assim, não resisto a uma breve resenha de cinco tópicos a ter em consideração no actual estado da "doença política" barreirense:

1. O vício do dogmatismo - natural no homem, em todas as circunstâncias e em todo o Mundo - deu lugar ao vício do bloguismo anónimo baseado na facécia, nas atoardas e maledicência sobre outrém;

2. Raramente se propõem doutrinas, muito menos de maneira crítica, em forma de hipóteses que se explicam, que se esclarecem, que se corrigem ou que se discutem. Impõem-se artigos de fé, sem direito à existência de matizes cinzento, segundo a lei do tertium non datur, como quem apresenta a proposição de que "a política só pode ser verdadeira se não for falsa";

3. Cada vez é maior o número de almas pensantes que acerca de um qualquer assunto só conhecem a tese perfilhada pelo sua própria seita, a qual para tais almas é tudo e revoga de vez toda a restante forma de pensar, como se de pensamento pretérito se tratasse;

4. O eruditismo puro deixou de ser um valor social e ético. esmagado pela hegemonia da imagem, dos rostos que pretendem dar rostos (sorridentes) às cidades e das caras que se sentem caras importantes das revistas do mundano, nem que tenham que fazer acrobacias mais espectaculares que o pino na sua constante disputa pelos «quinze minutos de fama»;

5. A crítica - um excelente exercício de natureza mental - quer na acepção de análise da produção intelectual quer na acepção de capacidade de julgar foi substituida pelo seu significado figurativo de condenação ou censura, tomada como ataque pessoal ao indivíduo e não às suas ideias, condenando quem é crítico ao limbo (esse lugar onde se lançam coisas de que não se faz caso), ao ostracismo sócio-político e talvez, não raras vezes, ao ostracismo profissional ou de evolução profissional.

Sabias foram as palavras desse Grande Republicano, Sampaio Bruno, ao afirmar que «o presente é que é a lição do passado». A lição está aí, à vista desarmada e perante todos.

2009-11-04

Francisco Ayala (1906 - 2009)

Francisco Ayala é um daqueles vultos da literatura espanhola pouco conhecidos em terras de Portugal.

Ao longo da sua vida deixou-nos um legado de 114 Obras literárias. Manteve a lucidez e faculdades intelectuais muito para lá do seu centário de vida, comemorado em 2006.

Em 2008, já nos seus 102 anos de vida, deu uma longa entrevista que tive oportunidade de ver no Canal Andalucia. Uma entrevista onde mostrava o quanto ainda estava vivo intelectualmente num corpo que não escondia as marcas tipicas do envelhecimento.

Em 2007 afirmava - "Soy un cómico que lleva años esperando a que se baje el telón, pero no termina de bajarse" (...) "He escrito demasiado porque he vivido demasiado y además lo he hecho intensamente."

A cortina (telón) do Teatro da vida de Ayala terminou hoje de baixar, resta-nos dele o que escreveu em demasia, resta-nos a esperança de também vivermos demasiado com idêntica lucidez.




2009-10-18

Faleceu o Jornalista Andrés Montes

O mundo do "baloncesto" espanhol está de luto.





2009-10-17

Norman Borlaug – O Homem que recusou ser milionário!

Após uns tempos de ausência voltei à minha actividade de colaboração permanente no Jornal do Barreiro

Shared via AddThis

Projecto Empresarial Verde

Palavras para quê? Um filme que vale por mil palavras.


2009-10-14

Caravana Cigana

Um documentário que deveria passar na televisão portuguesa em horário nobre.

ESPANHÓIS COM HUMOR

Uma letra original para o Hino Espanhol


2009-10-11

OS NOVOS "MUROS" DO SÉCULO XXI

Esta crise, que muitos pensam ser apenas económica e bancária, está longe de terminar. Pode existir recuperação económica, mas ainda não existiu a recuperação mais importante. A Ética continua - infelizmente! -pelas ruas da amargura. Na Academia, os investigadores da gestão empresarial e do comportamento organizacional estão cientes disso e não deixam de efectuar as suas recomendações conforme é patente no último número da revista «Journal of Business Ethics».

Fora da Academia, surgem igualmente evidências do que tem ficado por fazer e da incompetência dos diversos G's (G3, G8, G20) para assumirem a liderança de uma nova ordem sócio-económica global.


Recomenda-se a leitura de «Los nuevos 'muros' del siglo XXI» publicado no El País para uma melhor compreensão do problema que temos nas mãos.


2009-07-27

Sorria, Você está a ser espiado!

Num momento em que os tempos são de crise económica, em que os cidadãos muito se preocupam com a segurança e aceitam de bom grado a videovigilância em locais públicos, o velho tema da espionagem interna efectuada pelas empresas aos seus funcionários ou aos seus dirigentes não tem merecido a necessária atenção. Todavia, o tema continua actual e faz vítimas onde menos e quando menos se espera.

Notícia do El País dá conta de um dos mais recentes escândalos nesta matéria. Desta feita no insuspeito banco alemão Deutsche Bank.

Se eventualmente pensa que isso é coisa que só acontece aos outros e que nada disso ocorre em Portugal, desengane-se! Por muito que sorria perante esta afirmação, na realidade você pode bem estar a ser espiado pela sua entidade patronal neste preciso momento.

Em boa verdade, a qualquer momento uma qualquer pessoa (incluindo o seu patrão ou o seu chefe), pode estar a seguir as «impressões digitais» que descuidadamente (ou não) deixa para memória futura na Internet, seja no Hi5, no Facebook, no Twitter ou num simples blog como este.

A espionagem patronal não é uma ficção e ao virar de cada esquina internética existe sempre um potencial «big brother» de olho em si, o qual não deixará de recolher na Internet toda a informação que poder sobre a sua pessoa. Porque não fazê-lo no interior da própria empresa onde trabalha?

Eis algumas outras notícias recentes sobre casos de espionagem patronal sobre trabalhadores:

2009-07-24

Provedor de Justiça ou Provedor do Legalismo?

Na minha humilde opinião, o artigo publicado no Público nada augura de bom em relação ao que se pode esperar da Provedoria de Justiça. Suspender dois dos serviços mais emblemáticos «Linha Verde Recados da Criança» e «Linha do Cidadão Idoso» por questões de legalismo na contratação dos Recursos Humanos que garantiam estes serviços, demonstra mais preocupação com o legalismo do que com a Justiça.


Perante o caso, pergunto-me se o Senhor Alfredo José de Sousa, Provedor de Justiça, não encontrou algo mais latente e importante para iniciar a sua actividade. É que contratações ilegais na Administração Pública não existirão muitas. O mesmo não podemos dizer da quantidade de contratações a termo certo (contratos a prazo), socialmente injustas, em que o Estado Português usa e abusa de expedientes de renovação para não passar ao quadro cidadãos que garantem necessidades permanentes.
Veja-se o caso dos Docentes Contratados do Ensino Básico e Secundário que trabalham para o Ministério de Educação, sempre a contrato precário, sem direito a carreira nem a aumentos salariais decorrentes do ingresso e promoção na carreira. Basta consultar as listas de ordenação dos concursos de professores para constatar imensos casos de quem trabalha 10, 15, 18 ou 20 anos sem ter tido oportunidade de ingressar na carreira.
Esperemos que o legalismo não penetre no último bastião de defesa do cidadão contra os atropelos dos legalistas à mais elementar justiça a que têm direito. Esperemos que o Cidadão Alfredo Sousa leia alguns dos documentos publicados pela Provedoria de Justiça e atente que a utilidade do seu papel não está na prática de actos de um qualquer auditor do Tribunal de Contas muito preocupado com a legalidade dos factos e pouco ou nada preocupado com as injustiças criadas pela voragem legalista que assola a nossa Democracia qual uma Peste Negra.
(Nota: Veja aqui o Mapa de Pessoal da Provedoria de Justiça)

A Opinião de Joseph E. Stiglitz

«La ONU, a pesar de todos sus fallos, es la institución inclusiva internacional por excelencia. Esta conferencia de la ONU (como otra anterior sobre financiación para países en vías de desarrollo) ha puesto de manifiesto la función que la ONU debe desempeñar en cualquier discusión mundial sobre la reforma del sistema financiero y económico mundial.» in El País

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS DESCE ATÉ 14 Cêntimos/Litro

PREÇO DOS COMBUSTÍVEIS DESCE ATÉ 14 Cêntimos/Litro... Em Espanha, Claro!

Segundo notícia do El País a origem desta descida está na evolução dos preços do petróleo nos mercados internacionais. «En Portugal, no pasa nada!» Temos a GALP que temos... e uma Entidade Reguladora que assobia para o lado.

2009-05-18

Evolução dos Preços do Petróleo (Brent) nos últimos 12 meses

Fonte: OILNERGY
O Preço da Gasolina 95 desce cerca de 17% entre Maio de 2008 e Maio de 2009. O Preço do barril de Petróleo Brent desce cerca 50% no mesmo período.
Conclusão: A Gasolina 95 só é um derivado do Petróleo quando o preço deste último sobe nos mercados internacionais. Quando o preço do Petróleo desce, a gasolina passa a ser um produto derivado de uma qualquer outra matéria-prima que esteja a subir nos mercados internacionais. Ainda ouviremos justificar que o preço por litro de gasolina aumentou devido ao súbito aumento do preço do quilo da lentinha nos mercados internacionais.

2009-05-17

Humor Alemão sobre a política internacional

Com excelente tradução legendada em Espanhol, repare-se na música de fundo.


2009-05-16

O Fundo Digital da Universidade de Sevilha

Da minha muito querida Sigyllum Universitatis Litterariae Hispalensis vem a digitalização que está aqui ao lado. Trata-se de uma das suas imensas jóias colocadas à disposição de toda a Humanidade (que tenha acesso à Internet).

Escolhi esta obra «Itinerario Da India por Terra ate este reino: de Portugal com a discripcam de Hierusalem (...)», da autoria de Gaspar de São Bernardino, por estar escrita em português de 1611. A sua leitura é uma agradável surpresa ao permitir verificar a evolução da língua portuguesa até aos dias de hoje, quase quatrocentos anos após a publicação da obra, com a então necessária licença do Sancto Officio, datada de 20. de Mayo de 1611.

Aos interessados e curiosos destas coisas dos documentos antigos aqui deixo a minha sugestão de visita aos Fondos Digitalizados de la Universidad de Sevilla.

Boas leituras!

2009-05-03

Bagad Kemper

Um conjunto de músicos Bretões que merecem redobrados aplausos. Mais informação sobre estes músicos aqui.


Música Galega: Susana Seivane

Susana Seivane é provalmente desconhecida da grande maioria dos portugueses admiradores de programas como a«As Tardes da Júlia» e outro Telelixo. No entanto, no panorama cultural da música de origem céltica, Susana Seivane é uma artista de referência, descendente de uma grande família galega ligada à gaita de foles. Aqui ficam dois excelentes videos desta perita na gaita de foles.




2009-05-02

Jerónimo (La Palisse) de Sousa

Em entrevista ao programa «Diga lá Excelência», Sua Excelência o Secretário-Geral do PCP, Dom Jerónimo de Sousa, afirma brilhantemente que «se as pessoas não podem comprar, as empresas não podem vender». Tão brilhante afirmação é digna da atribuição de um doutoramento honoris causa pela Universidade de La Palice. Georg W. Bush, conhecido Doutor honoris causa em Lapalissadas como «a maior parte das nossas importações vem do estrangeiro», não diria melhor!

Seria de esperar que a principal figura de proa da coligação CDU, nem que fosse por influência dos Verdes da coligação, apresentasse soluções e desafios mais interessantes. Em vez disso, segue os cânones da economia capitalista clássica que usurpou o poder ao feudalismo.

Longe vão os tempos em que eles sonhavam com UCP's (Unidades Colectivas de Produção) e tardam em chegar os tempos em que defendam a Economia Verde. Deve ser para não engolirem o sapo.... de o Barack Obama ter colocado o tema da Economia Verde na sua agenda política.

2009-05-01

Aselhices à volta do Magalhães: Um problema de educação

As recentes aselhices que obrigam José Sócrates a pedir desculpa aos pais de crianças magalhaenizadas não ocorrem por mero acaso. Na minha opinião, resultam de um problema de Educação ou - como escreveria o nosso António Sérgio - de Instrução.

Por motivos vários, a velhinha disciplina de «Introdução à Política» existente no currículo do Ensino Secundário, acabou por desaparecer do mapa educativo das nossas escolas. Parece que não fazia falta nenhuma e foi considerada dispensável por pedagogos, técnicos e políticos que têm conduzido a política educativa deste país.

Ora, era nessa vetusta disciplina que se aprendiam os rudimentos sobre educação cíviva e se adquiriam algumas das necessárias competências para o ingresso do jovem (ou da jovem) na vida política activa como cidadão eleitor.

Sem a necessidade de qualquer Plano Nacional de Leitura, os alunos da disciplina "queimavam as pestanas" em leituras de obras como «Educação Cívica» de António Sérgio (cuja primeira edição já está digitalizada mas não disponível) ou a «Introdução à Política» de Maurice Duverger . Discutiam os temas e aprendiam coisas simples como o princípio da separação de poderes. Com os rudimentos aprendidos e competências adquiridas só mesmo o mais aselha ou o cábula daria os tiros nos pés a que paulatinamente vamos assistindo.

Para além das desculpas, José Sócrates, deveria apurar responsabilidades, identificar as falhas de formação e enviar os aselhas para formação. Aconselha-se como leitura obrigatória para os ditos, o opúsculo «DEMOCRACIA» de António Sérgio por ser obra de fácil leitura e com poucas páginas. Sugere-se que volte aos bancos de escola a disciplina de «Introdução à Política» como disciplina obrigatória.

O Socialismo Pragmático de António Sérgio

Passeia-se o PM por quintas, herdades alentejanas, dá um pulinho à Ovibeja e bota discurso televisivo em que evoca os heróis nacionais.
Sobre cooperativismo e concepções socialistas de combate à crise, da actual nomenclatura no poder não vem nem uma palavra. Heróis como António Sérgio ou Antero de Quental são votados ao mais puro dos esquecimentos, quiça metidos numa qualquer gaveta, onde alguns teimam em meter o socialismo quando governam.
Já não há Antónios Sérgios que façam alocuções aos Socialistas nos tradicionais banquetes do Primeiro de Maio.
São "bonitos" e telegráficos os discursos televisivos de alguns membros da nomenclatura Socialista (neoliberal), mas falta-lhes a essência e o pragmatismo que se encontra nas palavras de Sérgio:
«Por mim, ofereceria os princípios das concepções socialistas já em troco miudinho, já bem concretizados em soluções concretas, relativas ao abastecimento do pão e da carne, da manteiga e do leite, do vestuário e da casa; concernentes ao tratamento da doença e no parto, ao subsídio na invalidez e à protecção na velhice (...)» in Alocução aos Socialistas, 1947